08 MAR 2018

O que vivi e aprendi como missionário na Amazônia

2018-02-28-PHOTO-00000019

O padre Isaías Daniel da diocese de Limeira, SP, após ter concluído seis anos de trabalho pastoral na Amazônia pelo Projeto entre os Regionais Sul 1 – Norte 1 da CNBB, está de volta e nos manda este texto em forma de prosa: “Obrigado a você que agora lê essa mensagem. Sem você minha casa não teria a mesma estrutura,  minha roça não seria tão abundante, meus projetos não seriam tão importantes, minha missão não teria tanto significado, meus dias não teriam tanta luz e meu futuro não teria o odor da eternidade”.

Fechei o zíper da mala. Fui em direção ao Aeroporto Internacional de Tabatinga/AM.  Era dia 03 de fevereiro de 2018. Na mala, os mesmos 23 kg com os quais cheguei no Alto Solimões há seis anos: roupas, túnica, livros e alguns mimos oferecidos pelos amigos e amigas.

Fechar e abrir malas, enchê-las, esvaziá-las, gestos tão frequentes na missão.  Tudo parece muito igual. Mas existe uma outra mala. Essa é bem diferente. É a mala do coração. Nessa trouxe e levo mais de 23k. Não conseguiria pesá-la jamais.

Quando cheguei no Alto Solimões carregava o peso da ansiedade, do ardor missionário, da insegurança, dos temores, do desejo de fazer uma experiência diferente, da responsabilidade. Um peso gostoso de carregar. Não o carreguei nos ombros, mas sim no coração!

Agora volto com a mala tanto quanto  pesada: amizades,  experiências, encontros, amores, superação…. mas nessa mala também vai o peso do sentimento de que minha missão não terminou. O contrato missionário entre os  Regionais Sul I – Norte I da CNBB sim. Meu contrato com Deus e com as realidades mais simples, não!

Sou muito grato à Deus por modelar-me no seio materno, à Igreja por possibilitar-me tanta coisa boa por meio de suas estruturas,  à natureza por todos os dias me surpreender com tamanha diversidade e beleza, às comunidades indígenas, ribeirinhas e urbanas das Paroquias Santos Anjos (Tabatinga) Sao Paulo Apóstolo (Sao Paulo de Olivença), nas quais vivi incríveis experiências de Deus,  e às pessoas que nesses seis anos passaram pelo meu caminho ou eu no caminho delas. Obrigado a você que agora lê essa mensagem. Sem você minha casa não teria a mesma estrutura,  minha roça não seria tão abundante, meus projetos não seriam tão importantes, minha missão não teria tanto significado, meus dias não teriam tanta luz e meu futuro não teria o odor da eternidade.

No dia 03 de fevereiro houve uma manhã, uma tarde e uma noite. Pude ver que tudo é muito bom! Por isso coloquei tudo na mala e parti.

Abraço fraterno a todas e todos”.

Pe. Isaías Daniel

Missionário da Diocese de Limeira no Alto Solimões /AM (2012-2017)

2018-02-28-PHOTO-00000021

2018-02-28-PHOTO-00000018

2018-02-28-PHOTO-00000022

2018-02-28-PHOTO-00000023

 

Compartilhe esta publicação
Nossas redes sociais
Top