26 SET 2017

SEMANA NACIONAL DA VIDA

A Semana Nacional da Vida, é celebrada pela Igreja de todo o Brasil,desde 2005, quando a 43ª assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), instituiu a primeira semana do mês de outubro, de 1º a 7, como a semana para a realização de diversas atividades em prol à defesa da vida humana, culminando com a celebração do Dia do Nascituro, no dia 8. Neste ano de 2017, no contexto das celebrações dos 300 anos do encontro da imagem de Nossa Senhora Aparecida, a Semana Nacional da Vida, traz como tema “Bendito é o fruto de teu ventre” (Lc 1,42), recordando “Maria Santíssima que, com seu ‘sim’ corajoso e definitivo ao Pai trouxe ao mundo o Deus encarnado. Deus, tomando a vida humana como sua, tornou-a digna e sagrada. Bendito o fruto deste ventre, do ventre de todas as mães, do ventre da mãe-Terra. O Pai Criador quer ser respeitado e amado em cada ser vivo criado, pois a Vida lhe pertence, e é o seu melhor dom, oferecido ao mundo de maneira sublime e singular na pessoa de seu Filho divino. Nele, toda a vida merece respeito”, como afirma Dom João Bosco (Presidente da Comissão Vida e Família da CNBB).

Para o Pe. Jorge A. Filho (Assessor Nacional da Pastoral Familiar), “celebrar a Semana Nacional da Vida e o Dia do Nascituro é a grande oportunidade de mostrar que, para nós cristãos, a vida realmente é o dom mais precioso que recebemos de Deus e, por isso mesmo, deve ser defendido, respeitado e amado. Uma importante missão surge para todos nós: a de nos tornarmos promotores da vida desde o início da gestação. Isso deve ser uma tarefa de todos nós que reconhecemos que fomos criados pelo amor incomensurável de nosso Deus”. Nos últimos tempos, surgiram Muitos grupos e ideologias promovendo e difundindo uma cultura de morte, muitas vezes escondida sob o véu da defesa de direitos, especialmente, em defesa ao direito da mulher. Mas, não se trata de defender direitos, e sim, de promover e incutir uma cultura de morte em nossa sociedade.

A promoção e defesa do aborto, a promoção da eutanásia, a defesa de pesquisas com células-tronco, e muito mais, são formas com as quais temos visto nossa humanidade afastar-se da vida. Ninguém deve ter o direito a abortar, pois se o tiver, é o mesmo que dar o direito de matar. Aborto é homicídio. “O direito ao aborto não será nunca um bem, porque o aborto, na sua base, é em si mesmo um mal. Um e outro serão sempre ilícitos. Nenhum direito pode justificar-se se supõe matar outro ser humano” (Lexicon, Pontifício Conselho para a Família, p. 206). Eutanásia, nada mais é que, “o ato de matar deliberadamente um doente incurável para pôr fim aos seus sofrimentos, quer dizer por motivos de piedade” (Lexicon, Pontifício Conselho para a Família, p. 309). 

Ninguém deve ter o direito de pôr fim à vida de outrem, apenas com o intuito de lhe evitar sofrimento, ainda que a pessoa o queira por força de sua dor, pois fazê-lo é rogar para si um poder que não foi concedido a ninguém por Deus. Enfim, meus irmãos e irmãs. Um verdadeiro cristão, comprometido com Jesus e o Evangelho, deve ser sempre um defensor e promotor da vida, desde sua concepção até sua morte natural. A vida e missão de Jesus pautava-se sobre a máxima: “Eu vim para que todos tenham vida e a tenham em abundância” (Jo 10,10). Nós como continuadores da missão de Cristo, não podemos fugir a esse dever e compromisso. Por isso, queremos convidar a todos a participar das atividades que nossa Paróquia irá promover ao longo desta Semana Nacional da Vida. Venha conosco somar nesta corrente que defende e promove a vida, pois esse é o direito de todos, VIVER.

Pe. Neri Dione Squisati


Compartilhe esta publicação
Top